Clean fuels for all Title
Ancre click down

O que são Combustíveis Líquidos de Baixo Carbono?

Os Combustíveis Líquidos de Baixo Carbono (LCLF) são combustíveis líquidos sustentáveis de origem não petrolífera, com emissões de CO2 nulas ou muito limitadas, durante a sua produção e utilização, em comparação com os combustíveis fósseis. Têm um papel estratégico a desempenhar na transição para uma economia climaticamente neutra.

Inicialmente misturados com combustíveis convencionais, os combustíveis de baixo carbono irão substituir progressivamente os combustíveis de origem fóssil. A intensidade de carbono dos combustíveis dependerá da percentagem de combustíveis líquidos de baixo carbono misturados no produto final. Só quando a componente fóssil dos combustíveis vendidos nas estações de serviço for completamente substituída por combustíveis líquidos de baixo carbono, é que estes combustíveis serão neutros em carbono.

Contribuir para reduzir a intensidade das emissões de gases com efeito de estufa de todos os veículos existentes e novos

Os combustíveis líquidos com baixo teor de carbono, à medida que entram no mercado,  permitirão descarbonizar progressivamente toda a frota automóvel em circulação, tanto dos veículos já existentes como dos novos. Tecnologias alternativas, como os Veículos Eléctricos a Bateria ou a Pilha de Combustível a Hidrogénio exigirão, em vez disso, uma substituição progressiva da frota automóvel.

Assim, os combustíveis líquidos com baixo teor de carbono fornecerão, num futuro próximo, uma solução competitiva em comparação com as tecnologias alternativas, e reduzirão a pressão e o custo de alcançar uma substituição completa da frota para assegurar a neutralidade climática, apoiando também uma transição justa em toda a Europa.

 

2020

Tornar o Motor de Combustão Interna um veículo com emissões nulas

Os motores de combustão interna alimentados com combustíveis líquidos com baixo teor de carbono* (biomassa, resíduos, energias renováveis e CO2 reciclado) serão tão sustentáveis como os veículos elétricos a bateria alimentados com electricidade verde.

2020

* Estes serão climaticamente neutros através de tecnologias de CO2 reciclado ou biogénico e com baixo teor de carbono na fase de produção (CCS e H2).

As tecnologias que impulsionam a transição

Aproveitando o nosso conhecimento tecnológico e as nossas infraestruturas flexíveis, iremos mudar cada vez mais para novas matérias-primas de forma a reduzir progressivamente as emissões líquidas de carbono dos hidrocarbonetos líquidos.

Biocombustíveis sustentáveis de 1.a geração

Biocombustíveis à base de culturas alimentares

Matéria-prima: Culturas alimentares e forragens sustentáveis (por exemplo, matérias-primas como as culturas açucareiras, culturas de amido), e óleos vegetais sustentáveis;

Tecnologia: Transesterificação, fermentação, hidrogenação de óleos vegetais. por exemplo, óleo vegetal tratado com hidrogénio (HVO), etanol, FAME (Fatty acid methyl ester).

Biocombustíveis avançados

Óleos vegetais tratados com hidrogénio/biodiesel, Biomassa-para-Líquido e Resíduos-para-Líquido

Matéria-prima: Culturas não alimentares, com biomassa lignocelulósica, incluindo madeira e resíduos da silvicultura, resíduos agrícolas (palha e restolho) e culturas energéticas ou materiais residuais (por exemplo, resíduos da indústria, óleos e gorduras residuais – por exemplo, óleos alimentares residuais – ou resíduos sólidos);

Tecnologia: Múltiplas Vias, incluindo fermentação (etanol), hidrogenação (HVO) ou transesterificação de óleos e gorduras residuais (FAME), vias de conversão termoquímicas tais como BTL (gaseificação e síntese Fischer-Tropsh) ou pirólise/liquefacção hidrotérmica (HTL).

Nota: a diferença entre biocombustíveis sustentáveis de 1ª geração e biocombustíveis avançados está relacionada com a matéria-prima.

E-combustíveis

Combustíveis sintéticos “power-to-liquid”

Matéria-prima: Eletricidade renovável produzida a partir de energia eólica, solar ou hídrica, e CO2 capturado.

Tecnologia: Eletrólise da água + síntese de combustível (por exemplo, Fischer-Tropsch, via metanol)

Os e-combustíveis são combustíveis sintéticos, resultantes da síntese de hidrogénio verde produzido através da eletrólise da água, utilizando eletricidade verde, e dióxido de carbono (CO2) capturados, quer a partir de uma fonte concentrada (gases de escape de uma unidade Industrial), quer diretamente do ar (DAC – Direct Air Capture).

A Comunicação da Comissão “Uma estratégia de hidrogénio para uma Europa neutra em termos climáticos” de julho de 2020 descreve a necessidade de outras formas de produção de hidrogénio de baixo carbono no curto e médio prazo, principalmente para uma rápida redução das emissões atuais da produção de hidrogénio e apoio à penetração paralela e futura do hidrogénio renovável. Este hidrogénio de baixo carbono, também conhecido como hidrogénio azul, é produzido a partir de gás natural com Captura e Armazenamento de Carbono (CCS) / Captura e Utilização de Carbono (CCU).

Uma combinação de tecnologias deve ser implementada em muitas unidades em toda a Europa, para fornecer combustíveis líquidos de baixo carbono em escala.

Desmitificar